Hugh Laurie – Músico e ator… Algo que não poderia ficar apenas na prateleira

Este não é um post para quem gostava de House, a série, ou House o estilo musical, é sim para quem gosta de blues e jazz. Desculpem o trocadilho irresistível. Ano retrasado, quando fui para Buenos Aires comprei um box CD/DVD e só este ano é que fui lembrada de que deveria abrir e aproveitar… Aproveitar sim, pois é simplesmente uma delícia ficar ouvindo Hugh Laurie.

Celebrado ator da série House, este artista sempre demonstrou ser muito mais versátil que a maioria, seja por interpretar papéis americanos (sendo ele britânico),   pelo humor sarcástico de suas séries de comédia com Stephen Fry,  pelo fato de em diversos filmes acabar nos presenteando com seus talentos musicais  ou ainda pelo seu gosto complexo na própria seleção de faixas, haja vista ter adotado um repertório que deslumbra pelo impecável uso de cromatismo tanto na guitarra como no piano.

Sabe-se que existe bastante preconceito com atores que se tornam cantores ou músicos, mas acredito que não seja esse o caso dele, pelo contrário, como já havia sempre deixado claro seu talento, isso não foi obstáculo. Todavia, percebi, lendo algumas das críticas sobre seu álbum e seus shows, que o que na verdade  foi discutido, seria a escolha das músicas, que na opinião de alguns críticos britânicos, fixou-se demais na tradição americana. Todavia, eu não levo muito em conta as críticas, penso no entretenimento, se eu gostei e eu me diverti, pouco importa o que os outros pensam. E, na minha opinião esta música fez isso, pois trata-se de um som gostoso e divertido, cheio de energia.

Eu amo piano (se tivesse talento, talvez seguisse uma carreira na música, o que não foi o caso) e por isso mesmo adoro ouvir peças complexas, que parecem tirar o nosso fôlego e o do pianista também. A faixa 7 desse álbum faz isso: é um jazz com traços do início do rock clássico. Cromatismo e  ritmo contagiantes!

Anúncios