Miracle Noodles – Shirataki

Há mais ou menos dois anos, vi no youtube uma resenha sobre The Miracle Noodles, conhecido como shirataki. Trata-se de um macarrão japonês de consistência  gelatinosa e coloração rósea, advindo de uma batata chamada Konhaku ou Kon’ nyaku da planta konjac. Ele é considerado milagroso pelo fato de ser composto principalmente por água e fibra, baixíssimo índice glicêmico e sem quaisquer outros nutrientes, o que contribui muito quando se faz uma dieta pobre em carboidratos.

Apesar de já ter conhecido há 2 anos, por meio da resenha, confesso, no entanto,  que ela apontava principalmente aspectos negativos o que acabou me afastando da ideia de experimentá-lo. O resenhista falava que a consistência e o sabor do macarrão eram esquisitos e, que, apenas quem gostasse muito de peixe, talvez pudesse gostar desse macarrão. A demonstração do preparo também foi desencorajadora, pois dizia-se que precisava ser lavado mais ou menos umas cinco vezes para retirar o sabor “cáustico”.

No entanto, por curiosidade pura, este ano, resolvi procurar no mercado municipal da cidade onde moro e fiquei encantada por essa “massinha”. Já preparei de diversas formas e tem sido uma boa e prática opção para quando quero preparar um prato diferente. Já experimentei fazer sob a forma de yakisoba (exclui-se apenas a cenoura), spaghetti a bolonhesa e também já preparei com um molho à carbonara, sugestão que deixo hoje para vocês.

Uma dica para aqueles que são mais preocupados com o visual do prato é acrescentar algumas gotas de corante alimentício amarelo para que o tom se pareça com o do macarrão tradicional. Já para aqueles preocupados com o sabor posso afirmar que se trata de um alimento bastante neutro que absorve o sabor dos temperos nele utilizados.  Já quanto à consistência, infelizmente devo dizer que é um pouco gelatinosa mesmo, você pode até fritá-los um pouco para tentar emular o “al dente”, porém não obterá muito sucesso, contudo para mim basta a felicidade de estar comendo macarrão sem culpa.

Acredito que valha a pena experimentar e ver se pode se adaptar a esse macarrão milagroso ao seu estilo e seu paladar, segue aí, minha sugestão:

Shirataki ao molho carbonara

Ingredientes para a massa:

  • 400gr de macarrão Shirataki lavado e escorrido.

Ingredientes para o molho:

  • 100 gr de bacon em cubos;
  • 1/2 cebola picada;
  • 2 dentes de alho amassados;
  • 1 tomate picado (opcional);
  • óleo de canola;
  • cheiro verde picado;
  • 2 gemas de ovo;
  • queijo parmesão ralado;
  • sal a gosto.

Preparo: Doure o bacon em um pouco de óleo em fogo médio, quando estiver bem frito acrescente a cebola e o alho, junte o tomate e o cheiro verde picado. Acrescente o shirataki e baixe o fogo, por fim acrescente as gemas de ovo. Mexa por alguns minutos. Sirva com queijo parmesão.

Dicas:

  • Algumas pessoas gostam de acrescentar creme de leite ou requeijão ao molho, fica a seu critério.
  • Para outras variações é possível trocar o bacon por linguiça ou salame, o sabor fica bem diferente.

 

Bom Apetite e Boa Sorte!

Anúncios

Pipoca? Falsa pipoca de Linhaça

É, uma das coisas que eu mais sinto falta é a danadinha da pipoca, não pelo sabor,  mas porque sempre que eu comia pipoca era junto com outras pessoas, sempre quando a família se reunia, e, doce ou salgada, era um lanchinho mais que perfeito para todos, crianças, adultos… Infelizmente a pipoca possui uma quantidade de amido, leia-se, carboidrato, muito grande, o que impede sua ingestão por aqueles que, como nós, modificaram sua forma de viver para adotar a dieta do Dr.Atkins.

Porém, eu me lembrei hoje de algo que aprendi com meu médico cardiologista, dr. Cattani,  uma pessoa fantástica que simplesmente revolucionou, para mim, a forma de se comer linhaça. Pois é, na época eu ainda nem sonhava com o regime de Atkins e portanto vivia com problemas de intestino (que graças a dieta eu não tenho mais) e durante nossa consulta eu reclamei do fato de ter que comer linhaça misturada com água formando aquela gosma e o que ele me disse? Que não precisa ser assim. A linhaça faz os mesmos efeitos se você fizer “pipoca” com ela. Assim, bastava por numa panelinha com tampa que as sementinhas também passam a estourar e fica uma delícia com salzinho ou mesmo com um pouquinho de adoçante. Fantástico não é?

Você pode optar por colocar um pouquinho de óleo ou manteiga na panela, preferencialmente uma pipoqueira, pois as sementes são mais frágeis e precisam menos calor para estourar, e precisa ficar mexendo a panela constantemente, mas se não for pipoqueira, basta mantê-la fechada e retirá-la do fogo  agitando-a a fim de que as sementes possam mudar de posição, sem queimar.

É um lanchinho diferente, que fica bem menos volumoso que a pipoca normal, mas que dá uma certa satisfação, se não pelo fato de não ser nada gosmento, pela possibilidade de comer um salgadinho ou até docinho crocante e  diferente. Ainda valendo comentar que pode ser facilmente transportado em pacotinhos ou em potinhos para todo o lado.

Bom Apetite e Boa Sorte!

Mini-Muffin de Cheddar e Bacon

Esta receita foi um improviso em um dia de muita pressa, mas ficou bem gostosinha para o lanche da tarde e, como pode servir inclusive para a fase de indução,  vale a pena compartilhar.

mini-muffin cheddar e bacon

Ingredientes:

  • 2 ovos;
  • 50 gr queijo cheddar picado;
  • 2 colheres (sopa) psyllium;
  • 4 colheres (sopa) fibra (farelo) de trigo;
  • 1 colher (sopa) manteiga derretida;
  • 50 gr bacon em cubos previamente fritos;
  • 1 colher (sopa) creme de leite;
  • 3 colheres (sopa) água;
  • 1 colher (sopa) queijo parmesão ralado;
  • 1 colher (chá) fermento químico em pó.

Preparo:

Bata os ovos, até espumar, junte a manteiga derretida e o creme de leite.  Adicione o psyllium, fibra de trigo e os demais ingredientes, deixando por último o fermento químico em pó. A consistência é bem próxima a de uma massa de bolo.  Prepare a forma ( pode ser forma para empadas ou mini cupcakes untada e polvilhada com fibra de trigo, ou, se preferir,  utilize formas de papel  descartáveis e forneáveis dentro da forma de mini-cupcake). Pre-aqueça o forno por 10 minutos, a 180 graus. Coloque a massa nas forminhas, até a metade, pois a massa cresce. Asse por aproximadamente 15 minutos.

Rendimento: 10-12 mini-muffins.

Esta receita pode ser utilizada em todas as fases da dieta Atkins.

Dicas:

  • O bacon pode ser substituído por pedaços pequenos de linguiça calabresa frita;
  • Pode-se acrescentar cheiro verde picado, cebola e alho desidratados ou outros temperos de sua preferência.

Bom Apetite e boa sorte!

Estrogonofe Diferente

Hoje resolvi fazer uma carne de um jeito diferente, mas acabou resultando em uma espécie de estrogonofe (sabe quando você quer inovar), pois nesse caso utilizei contra-filé,  shitake, tomates pelados e requeijão, o jeitão ficou de estrogonofe mesmo… O sabor, ficou um pouco diferente,  vale experimentar:

shitake

Ingredientes:

  • 400gr contra-filé em cubos;
  • 1/2 cebola picada;
  • 1/2 copo de requeijão;
  • 1/2 lata tomates pelados;
  • 2 colheres (sopa) de manteiga;
  • 1 embalagem de cogumelos shitake picados;
  • 1 caldo de carne;
  • sal a gosto.

Preparo:

Doure a cebola e o shitake na manteiga acrescente a carne e os tomates. Acrescente o caldo de carne  ao refogado, por fim os tomates o requeijão e, água o quanto baste para cozinhar a carne. Deixe ferver bastante, até que fique com consistência cremosa.

estrogonofe diferente

Dicas:

  • Pode ser servido com salada e faux arroz;
  • Podem ser utilizados outros temperos ao seu gosto.

Esta receita está adeguada às fases de Indução – Indução Extendida – PPC e Manutenção.

Boa sorte e Bom Apetite!!!

Escabeche de abobrinha

Esta receita é bastante saborosa, serve como antepasto ou salada e fica uma delícia.

Escabeche de abobrinha

Ingredientes:

  • 2 abobrinhas italianas (brancas ou verdes) com casca;
  • 3 dentes de alho picados;
  • 1/2 cebola picada;
  • 3 azeitonas picadas;
  • 4 colheres (sopa) de óleo de oliva extravirgem;
  • orégano a gosto;
  • 2 colheres (sopa) de vinagre branco;
  • sal;
  • cheiro verde picado.

Preparo:

Lave as abobrinhas e pique-as finamente (eu utilizei um processador estilo bate-pique, assim fiz um pouquinho de exercício para os braços, rs).  Refogue a cebola com uma colher de óleo, junte as abobrinhas e as azeitonas. Deixe soltar um pouquinho da água. Junte o vinagre branco, o cheiro verde e o sal. Desligue o fogo e regue com o restante do azeite de oliva.

Dicas:

  • Esta receita pode ser servida como salada ou antepasto com fatias de provolone desidratado no micro-ondas;
  • Você pode guardar em vidros de conserva por até 15 dias, sem vácuo ou 3 meses (com fechamento hermético a vácuo).

A receita pode ser indicada para todas as fases da Dieta dr. Atkins.

Boa sorte e bom apetite!!!

Bolo Mousse ou Bolo Trufado de Chocolate

Este bolo, tem sido uma das sobremesas de natal já há algum tempo na minha família.Vale dizer que  foi um sucesso tanto no lado do meu marido, com os familiareS do meu lado…

 

Bolo Trufado Mousse Chocolate2

A decoração chama muita atenção, mas o sabor, certamente não deixa nada a desejar. Principalmente quando se come o chocolate juntamente com as folhas de manjericão roxo que servem para ornamentar e também para temperar esta delícia.

Devo dizer porém, que esta receita não é propriamente uma invenção minha, mas sim uma adaptação que acabei fazendo a partir de uma receita de doce convencional. Portanto, só posso recomendá-la para as pessoas que já estão na fase de Manutenção, uma vez que não posso precisar com total exatidão a quantidade de carbos… Além disso, posso dizer que, quando eu comi, não saí da fase de cetose, isto porque não comi uma porção exagerada e também verifiquei por meio de tiras de teste.

Mas, como o Dr. Atkins mesmo observou, é possível, na fase de manutenção, uma vez, lá muito de vez em quando (isto é, de forma bastante esporádica mesmo) comer algo que contenha uma quantidade um pouco maior de carboidratos, sem que isso seja prejudicial à dieta. É por isso que foram criadas nos Estados Unidos, as indulgence bars, que ainda não estão disponíveis no Brasil, mas que são um alento para aqueles dias em que se “precisa” comer algo doce…

De todo modo, a pessoa também pode sempre voltar à fase de indução, para retomar a capacidade de cetose (queima de gordura e eliminação de cetonas pela urina).

Bem, já falei demais, não é? Vamos à receita.

Ingredientes:

Para a massa:

  • 200 gr de chocolate zero nestlé (a barra de 500gr foi lançada este ano, mas eu comprava várias barrinhas pequenas);
  • 500 gr de chocolate diet ou 80%;
  • 400 gr  de manteiga previamente derretida;
  • 3/4 xícara (chá) adoçante próprio para forno e fogão;
  • 10 ovos.

Para a calda:

  • 1 garrafa de vinho (750 ml) zero açúcar;
  • 1/2 xícara (chá) adoçante próprio para forno e fogão;
  • 10 cravos;
  • 2 ramas de canela;
  • 15 pimentas rosa (opcional);
  • cascas de limão siciliano
  • 3 folhas de manjericão roxo.
  • 1 colher (café) goma xantana dissolvida em água.

Para decorar:

  • amoras, morangos, cerejas, mirtilos, grãos de romã, framboesas e folhas de manjericão roxo.

Preparo:

Derreta os chocolates no micro-ondas ou em banho maria. Bata os ovos com o adoçante em uma batedeira, junte a manteiga previamente derretida ao chocolate e incorpore delicadamente aos ovos batidos. Unte forma de 22 cm de diâmetro (preferencialmente de fundo removível) e asse por 1h  a 160 graus em banho maria.

Para a calda: Coloque em uma panela o vinho, o adoçante e os temperos. Quando atingir fervura, junte a goma previamente diluída em meio copo de água (ou no suficiente para ter uma consistência de pasta). Mexa até obter a consistência desejada. Despeje sobre a torta e decore com as frutas frescas e o manjericão.

DICAS:

A goma xantana pode ser substituída por Agar-Agar, a consistência, contudo será de geleia.

Pectina possui carboidratos e existe discussões sobre a possibilidade ou não de ser utilizada para dar consistência…

Prove a mistura de chocolate com manjericão. É super diferente e saborosa.

Boa sorte e Bom apetite.

Bolachinhas de Abacate com Canela

Close bolachinhas abacate com canela

Esta combinação estranha, foi uma invenção feita por mim em um fim de tarde,  quando veio aquela vontade de comer uma bolachinha junto com o cafezinho… É algo rápido de preparar, mas que exige alguns cuidados peculiares.  As dicas de como eu preparei estas delícias estão descritas aqui no post, mas se houver alguma dúvida não hesitem em perguntar.

Ingredientes da “Massa”:

  • meio abacate maduro;
  • 3 colheres (sopa) adoçante próprio para forno e fogão;
  • 1 ovo;
  • 1 1/2 colher (sopa) de psyllium;
  • 1 colher (chá) essência de baunilha (ou do sabor de sua preferência);
  • 1 xícara (chá) aproximadamente de PIS (Proteína Isolada de Soja);
  • 1 colher de chá de fermento químico.

Ingredientes do Recheio:

  • 3 colheres (sopa) de manteiga sem sal;
  • 4 colheres (sopa) canela em pó;
  • 1 colher (chá) adoçante próprio para forno e fogão.

Preparo:

Em uma vasilha, amasse o abacate  e junte os demais ingredientes  deixando por último o fermento químico, tente  obter uma massa que possa ser modelada (se necessário é possível acrescentar um pouco mais de PIS para dar o ponto). Coloque-a em um saco plástico e leve à geladeira por um período de 10 a 15 minutos. Enquanto isso, prepare o recheio: misture os ingredientes formando uma pastinha.  Passado o tempo de descanso na geladeira, estique a massa até que fique com 0,5 cm mais ou menos. Para isso, utilize um rolo passsando-o sobre o saco plástico. Abra o saquinho e, deixando a massa ainda esticada sobre ele,   espalhe o recheio e, utilizando o mesmo saco plástico, enrole a massa como um rocambole. Se quiser deixe a massa descansar na geladeira por mais alguns minutos a fim de facilitar o corte. Corte em fatias de 0,5 cm e coloque para assar em um tabuleiro, durante 15-20 min, em forno pré-aquecido a temperatura de 180 graus.

bolachinhas de abacate com canela

Dicas:

  • Fica muito gostoso com essência de toffe ou caramelo.
  • Pode-se utilizar também raspas de limão e laranja para dar um toque diferente à massa.
  • Use um saquinho plástico para facilitar o manuseio da massa.
  • Não é necessário untar o tabuleiro, pois o recheio da bolachinha já contém gordura (manteiga).
  • Você pode optar por deixar essa bolachinha mais macia (deixando por 15 minutos no forno) ou um pouco mais crocante (deixando por 20 minutos ou, dependendo do seu forno, um pouquinho mais…)
  • Outra sugestão é salpicar um pouco de adoçante sobre as bolachinhas para deixá-las com um aspecto açucarado.

Rendimento: aproximadamente 12 bolachas.

Esta receita está adequada às fases de INDUÇÃO EXTENDIDA, PERDA DE PESO CONTINUADA E MANUTENÇÃO.

Boa sorte e bom Apetite!!!